Arquivos e museus escolares – Fontes de memória e educação histórica

Autores

  • Justino Magalhães UIDEF - Instituto de Educação da Universidade de Lisboa; Centro de História da Universidade de Lisboa

DOI:

https://doi.org/10.34630/sensose.v9i1.4382

Palavras-chave:

Educação, Memória, Instituição, Locais de memória, Educação histórica

Resumo

Este texto incide sobre a dialéctica fundamental da educação: instituição, educação, sociedade e, no âmbito desta, atende ao complexo educacional: educando, educador, educado/ educável. Esta estrutura serve as sociedades, as pessoas e as instituições. A educação desenvolve-se no presente, com sentido futuro e actualização/reinterpretação do passado. A memória é condição de condição de educação. Traz o passado para a educação e a história é memória documentada, narrada, ensinada.

Neste texto, após abordar o complexo educação, memória, instituição, que forma a constelação fundamental, inclui-se uma referência à memória e à escrita da educação, nomeadamente à memória escolar e das escolas. Arquivos, museus e laboratórios, património, são locais de memória e meio de educação. Na sequência, o texto abre para o vínculo entre educação e memória; para o binómio educabilidade historicidade e para a educação histórica, como conhecimento, rememoração, vivência e experiência simbólica, com sentido e significados ontológico, antropológico, cognoscente, de cidadania e de humanitude.

Downloads

Publicado

2022-03:-16

Como Citar

Magalhães, J. (2022). Arquivos e museus escolares – Fontes de memória e educação histórica. Sensos-E, 9(1), 47–54. https://doi.org/10.34630/sensose.v9i1.4382