Património, competências histórico-geográficas e cidadania territorial na formação de professores da Escola Superior de Educação de Lisboa

Autores

  • Nuno Martins Ferreira Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Lisboa; CIED - Centro Interdisciplinar de Estudos Educacionais
  • Luís Mendes Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Lisboa; CEG - Centro de Estudos Geográficos, Instituto de Geografia e Ordenamento do Território, Universidade de Lisboa

DOI:

https://doi.org/10.34630/sensose.v8i2.3835

Palavras-chave:

História e Geografia de Portugal, Competências histórico-geográficas, Formação inicial de professores, Património cultural, Cidadania territorial

Resumo

A Escola Superior de Educação de Lisboa tem trabalhado em torno da investigação patrimonial, em contexto de formação inicial de professores, recorrendo ao património local como ponto de partida de reflexão e de prática educativa, e com o objetivo de evoluir nesta linha de formação e investigação. É apresentado como exemplo a unidade curricular de Temas da História e Geografia de Portugal, do Mestrado em Ensino do 1.º e 2.º Ciclos do Ensino Básico (matemática e ciências; português e história e geografia), que tem como principais objetivos de aprendizagem a articulação do aprofundamento, do estudo e da análise de temas do Meio social, a partir da História e Geografia de Portugal (HGP), com o reconhecimento das potencialidades da história local/regional e da geografia dos lugares para o estudo/investigação da HGP. A construção de um projeto de investigação em torno do património local e a construção de um recurso didático, que inclua um guião de visita ao território ou aos elementos patrimoniais escolhidos, são duas dimensões que contribuem para o desenvolvimento de competências histórico-geográficas e para o exercício de uma cidadania territorial.

Downloads

Publicado

2021-10:-21

Como Citar

Martins Ferreira, N., & Mendes, L. (2021). Património, competências histórico-geográficas e cidadania territorial na formação de professores da Escola Superior de Educação de Lisboa. Sensos-E, 8(2), 17–30. https://doi.org/10.34630/sensose.v8i2.3835