«IO (ANCORA) SONO L’AMORE»: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE AMOR E ADULTÉRIO FEMININOS NO FILME DE LUCA GUADAGNINO

Autores

  • Verônica Daminelli Fernandes

DOI:

https://doi.org/10.34630/polissema.v0i12.3080

Palavras-chave:

mulheres, porno, tropics, adultério, dispositivo amoroso, Itália

Resumo

Este trabalho analisa a protagonista do filme “Io sono l’amore”a partir do imaginário ocidental que impeliu a identidade das mulheres para o amor. Pornotropic russo a ser inseminado pela civilização italiana, Emma será a propriedade erotizada que encontra no adultério a possibilidade de transgredir contra a identidadeque sustenta. Porém, se a infidelidade ameaça a ordem para qual as mulheres servem de base, elaainda colaboracom a inteligibilidade que liga as mulheres ao imaginário amoroso dito livre.

Downloads

Publicado

2019-05:-03

Como Citar

Fernandes, V. D. (2019). «IO (ANCORA) SONO L’AMORE»: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE AMOR E ADULTÉRIO FEMININOS NO FILME DE LUCA GUADAGNINO. POLISSEMA – Revista De Letras Do ISCAP, (12), 277–293. https://doi.org/10.34630/polissema.v0i12.3080

Edição

Secção

Artigos