METODOLOGIAS TRADUTIVAS APLICADAS À TRADUÇÃO JURÍDICA

Autores

  • Carla Dias Basto

DOI:

https://doi.org/10.34630/polissema.v0i14.3048

Palavras-chave:

tradução jurídica, Metodologias tradutivas, Tradução documental, Tradução instrumental, Ferramentas de ajuda à tradução

Resumo

A tradução tem ganho uma preponderância crescente na atual conjuntura política, económica e social. A globalização, as relações comerciais com outros países e continentes, as novas tecnologias e as redes sociais são alguns dos fatores que levaram a esse aumento da tradução. E a tradução jurídica não escapa a esse fenómeno. Com o crescendo da procura da tradução jurídica, tornou-se também evidente a necessidade de uma maior reflexão sobre as áreas do direito, da língua e da tradução, podendo esta última constituir uma ponte entre as duas primeiras.

No mundo existem sistemas jurídicos diferentes que conduzem a visões distintas da realidade política e legal de cada país. Dado que a tradução jurídica, como qualquer outra tradução aliás, não é uma mera transcodificação de palavras, há que ter em conta outras questões para além das linguísticas, nomeadamente os diferentes sistemas jurídicos, as questões terminológicas e culturais, mas também a função que essa tradução terá no seu contexto de chegada.

Assim sendo, far-se-á neste artigo referência a algumas metodologias tradutivas que têm como fonte as teorias funcionalistas, sem no entanto esquecer as ferramentas de ajuda à tradução, imprescindíveis num mundo globalizado e em constante evolução.

Downloads

Publicado

2019-05:-02

Como Citar

Basto, C. D. (2019). METODOLOGIAS TRADUTIVAS APLICADAS À TRADUÇÃO JURÍDICA. POLISSEMA – Revista De Letras Do ISCAP, (14), 229–237. https://doi.org/10.34630/polissema.v0i14.3048

Edição

Secção

Artigos