Transição para o Ensino Superior Politécnico: Expectativas e dificuldades antecipadas e experienciadas por estudantes de licenciatura

Autores

  • Sílvia Barros Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto; inED - Centro de Investigação e Inovação em Educação
  • Mafalda Sousa inED - Centro de Investigação e Inovação em Educação
  • Manuela Pessanha Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto; inED - Centro de Investigação e Inovação em Educação
  • Carla Padrão Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto; inED - Centro de Investigação e Inovação em Educação; Universidade de Santiago de Compostela, Espanha
  • Sérgio Gomes CICCESI - Center for Innovation and Research in Business Sciences and Information Systems, Porto
  • Ernesto Fonseca CESPU - Cooperativa de Ensino Superior Politécnico Universitário, Gandra
  • Cristiana Guimarães Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto; inED - Centro de Investigação e Inovação em Educação
  • Ana María Porto Universidade de Santiago de Compostela, Espanha

DOI:

https://doi.org/10.34630/sensose.v9i2.4389

Palavras-chave:

Ensino Superior Politécnico, Transição, Expectativas, Autoeficácia, Dificuldades antecipadas e experienciadas

Resumo

Em Portugal, nas últimas décadas, as candidaturas ao Ensino Superior (ES) aumentaram substancialmente, com a consequente diversificação das características dos/as estudantes e suas famílias, assim como dos cursos e formas de acesso. Este estudo visa descrever as expectativas académicas e dificuldades antecipadas de estudantes de licenciatura, no início da frequência do ES Politécnico, assim como explorar relações entre essas variáveis, características sociodemográficas, nota de acesso ao ES, crenças de autoeficácia, e as dificuldades experienciadas pelos/as estudantes durante o primeiro semestre de frequência do ES. Participaram no estudo 360 estudantes que ingressaram em licenciaturas. Os resultados indicaram que, à entrada no ES, os/as estudantes de licenciatura apresentavam expectativas positivas e antecipavam poucas dificuldades. Após seis meses, tendiam a ser relatadas mais dificuldades por estudantes: (a) que tinham antecipado mais dificuldades, (b) com perceção de autoeficácia mais baixa, (c) que saíram do seu ambiente familiar para estudarem (i.e., estudantes deslocados/as).

Esta investigação poderá contribuir para ampliar o conhecimento científico acerca da transição para o ES Politécnico, dada a investigação ser mais abundante no contexto universitário. Este estudo, ao permitir conhecer melhor as expectativas e vivências destes/as estudantes, pode ter implicações na organização das ofertas educativas e num melhor apoio na adaptação dos/as estudantes.

Downloads

Publicado

2022-07:-17

Como Citar

Barros, S., Sousa, M., Pessanha, M., Padrão, C., Gomes, S., Fonseca, E., Guimarães, C., & Porto, A. M. . (2022). Transição para o Ensino Superior Politécnico: Expectativas e dificuldades antecipadas e experienciadas por estudantes de licenciatura. Sensos-E, 9(2), 3–18. https://doi.org/10.34630/sensose.v9i2.4389