O Instituto Superior de Engenharia: Um trajeto de ensino e de museologia educativa

Autores

  • Luis Alberto Alves CITCEM - Faculdade de Letras da Universidade do Porto
  • Patrícia Costa Instituto Superior de Engenharia do Porto; Instituto de História Contemporânea da Universidade NOVA de Lisboa; Departamento de Ciências e Técnicas do Património - Faculdade de Letras da Universidade do Porto

DOI:

https://doi.org/10.34630/sensose.v9i1.4375

Palavras-chave:

Ensino industrial, Instrumentos científicos, Cultura material, Recurso pedagógico, Museu do ISEP

Resumo

A aparente estabilidade política conseguida em 1851 criou condições para Portugal concretizar apostas a médio prazo e olhar para a Europa enquanto espaço de comparação e modelo. O atraso económico foi um dos aspetos que mereceu uma maior atenção e, entendia-se, seria pela via da educação que essa diferença seria superada. Logo a partir de 1852 assistiu-se ao estabelecimento de um sistema de educação industrial que permitiu a importação das novas ideias científicas que proliferavam por toda a Europa. Este sistema educativo tinha uma forte componente prática, comprovada pela criação de inúmeros gabinetes e laboratórios para atividades experimentais. Anualmente eram adquiridos novos equipamentos e instrumentos científicos, com a finalidade de equipar estes estabelecimentos auxiliares de ensino.

As coleções didáticas, atualmente em exposição no Museu do Instituto Superior de Engenharia do Porto, foram adquiridas a fabricantes europeus de referência internacional, a sua maioria ingleses, franceses e alemães, produtores especializados em material didático. A presença destes objetos no atual acervo permite-nos concluir que existia uma rede de circulação de conhecimentos científicos transversal a vários países da Europa incluindo Portugal. Através desta coleção permanente o público pode obter uma perceção do desenvolvimento das ciências relacionadas com as indústrias, do espírito da educação industrial e da identidade da Escola de Engenharia assim como o seu impacto no Norte de Portugal, mantendo até hoje uma das suas funções principais – a educação.

Downloads

Publicado

2022-03:-16

Como Citar

Alves, L. A. ., & Costa, P. (2022). O Instituto Superior de Engenharia: Um trajeto de ensino e de museologia educativa. Sensos-E, 9(1), 55–65. https://doi.org/10.34630/sensose.v9i1.4375