Coaching para o desenvolvimento humano

A sedução organizacional do triunfo ágil e a crítica sobre seus aspectos discursivos

Autores

  • Wagner Salles Universidade Veiga de Almeida
  • Fernando de Oliveira Vieira
  • Márcio Santos Souza

DOI:

https://doi.org/10.26537/iirh.vi9.2839

Palavras-chave:

Coaching, Agilidade tecnológica, Desenvolvimento Humano, Sedução organizacional

Resumo

Em um cenário de revolução tecnológica e de uma ênfase corporativa na aprendizagem, diversos processos, ferramentas e técnicas se apresentam como facilitadores de desenvolvimento humano (Coelho Jr. & Ferreira, 2013). Dentre estes processos destaca-se o coaching e suas aplicações (Torres, 2013). E uma vez o contexto da aprendizagem sendo determinante para uma solução que enfrente uma realidade, sobretudo em tempos de desenvolvimento tecnológico intenso, é necessário abrir espaço para a potencialização das pessoas – o que, amplamente, significa espaço para a autonomia (Siqueira, 2013; Freitas, 2013; Davel & Vergara, 2012).

Cappelli e Tavis (2018) afirmam que “ser ágil já não é prerrogativa só da tecnologia” (p. 25). A área de RH muda “da abordagem baseada em regras e planejamento para um modelo mais simples e rápido baseado no feedback dos participantes” (p. 25). De acordo ainda com os autores, “as empresas que adotaram com mais eficácia as práticas de talento ágil investiram no aprimoramento das habilidades de coaching dos gestores” (p. 27) e que “as habilidades de coaching são consideradas centrais para a carreira de gestor” (p. 28). Portanto, o coaching tem sido um instrumento central de reformulação das práticas de RH para o desenvolvimento humano, na busca por um perfil profissional de resultados rápidos.

Neste sentido, este artigo indaga sobre quais seriam as propostas de desenvolvimento humano inerentes ao processo de coaching difundidas no Brasil. Com o objetivo de examinar o discurso assumido pela literatura de coaching, a pesquisa se sustenta nos conceitos de coaching, espiritualidade organizacional e sedução organizacional para suscitar uma discussão, a partir de uma análise documental e de conteúdo, sobre literaturas e programas que exploram o processo de coaching no Brasil.

##submission.downloads##

Publicado

2019-08:-08

Como Citar

Salles, W., Vieira, F. de O., & Souza, M. S. (2019). Coaching para o desenvolvimento humano: A sedução organizacional do triunfo ágil e a crítica sobre seus aspectos discursivos. Conferência - Investigação E Intervenção Em Recursos Humanos, (9). https://doi.org/10.26537/iirh.vi9.2839