ESPELHOS DA POBREZA E DA EXCLUSÃO SOCIAL EM FERREIRA DE CASTRO E MIGUEL TORGA

Autores

  • Dora Nunes Gago

DOI:

https://doi.org/10.34630/polissema.v0i12.3070

Palavras-chave:

Literatura Portuguesa, Exclusão social, Pobreza, Emigração, Representações, Ferreira de Castro, Miguel Torga, Brasil

Resumo

No presente artigo, analisaremos o modo como é descrita a miséria, a pobreza e a exclusão social, associadas sobretudo ao fenómeno da emigração, patentes nas obras Emigrantes, A Selva de Ferreira de Castro, e A Criação do Mundo de Miguel Torga.

Atentaremos, por conseguinte, nas trajectórias empreendidas pelos protagonistas destas narrativas, sobretudo nas viagens empreendidas, mas também nas personagens anónimas, na “gente da terceira classe” metaforizada em “rebanho”, que parte na demanda dum Eldorado rapidamente desmitificado.

Além disso, será igualmente focado o cruzamento entre a realidade e a ficção, a experiência e a imaginação, visto que estas representações da pobreza e da exclusão social, impregnadas de humanismo, se enraízam nas vivências dos autores – pois ambos emigraram para o Brasil, sozinhos, no início da adolescência. Posteriormente, esses acontecimentos, vividos e sentidos, foram retratados e ficcionalizados nas obras literárias supramencionadas.

Downloads

Publicado

2019-05:-03

Como Citar

Gago, D. N. (2019). ESPELHOS DA POBREZA E DA EXCLUSÃO SOCIAL EM FERREIRA DE CASTRO E MIGUEL TORGA. POLISSEMA – Revista De Letras Do ISCAP, (12), 99–114. https://doi.org/10.34630/polissema.v0i12.3070

Edição

Secção

Artigos