Paisagem, exotismo e turismo literário: a voga da viagem romântica a Espanha

  • Sara Cerqueira Pascoal ISCAP- IPP
Palavras-chave: Romantismo, Literatura de viagem, Paisagismo Geográfico, Orientalismo, Exotismo, Lugares turísticos

Resumo

Se é verdade que no século XVIII começa a florescer uma intensa atividade literária ligada à viagem e ao seu relato, será no século seguinte que esta atividade atingirá o seu apogeu, mormente no que concerne à viagem a Espanha. Estes relatos oitocentistas são muito diferentes dos que haviam sido redigidos um século antes; uma profunda transformação havia ocorrido nas estruturas sociais e económicas, que explicaria que, mesmo os relatos de viagem, se alterem em conteúdo, mas também em forma. A predisposição e os objetivos que os viajantes abraçam vão-se alterando à medida que a viagem se vai entendendo mais como um exercício para a alma e o ânimo do que como um exercício para a razão. A viagem romântica sucederá, então, à viagem ilustrada, alterando os seus propósitos, mas também a sua forma de sentir a viagem. Este artigo pretende refletir sobre estas alterações que plasmariam, quanto a nós, num estilo novo, numa nova abordagem da paisagem e num sobrelevar da importância do pitoresco, do exotismo e dos lugares literários.

Publicado
2017-11:-01
Como Citar
Pascoal, S. C. (2017). Paisagem, exotismo e turismo literário: a voga da viagem romântica a Espanha. POLISSEMA – Revista De Letras Do ISCAP, (17), 179-215. Obtido de https://parc.ipp.pt/index.php/Polissema/article/view/2740
Secção
Artigos