Da docencia à criação de spin-offs acadêmicos

trajetórias de carreira no contexto brasileiro e português

  • Igor Augusto de Melo Dias Universidade Federal de Minas Gerais
  • Élida Patrícia de Souza Universidade Federal de Minas Gerais
  • Allan Claudius Queiroz Barbosa Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Carreira, docentes, spin-off acadêmico, Brasil, Portugal

Resumo

Os spin-offs acadêmicos são empresas criadas para explorar parte da propriedade intelectual desenvolvida dentro das universidades. Quando elas são fundadas pelos próprios inventores, que estão vinculados à carreira do magistério superior, é possível observar que na maioria dos casos, a atividade empresarial é realizada em tempo parcial e em um local próximo ou até mesmo dentro das Universidades, para facilitar a conciliação com a carreira docente (SHANE, 2004). Nessa “dupla jornada” o docente se vê diante de duas atividades complexas e desafiantes: a docência e o empreendedorismo. Considerando carreira como uma “sequência evolutiva de experiências de trabalho de uma pessoa ao longo do tempo” (ARTHUR; HALL; LAWRENCE, 1989, p.8), o presente artigo tem por objetivo analisar as trajetórias de carreira de docentes, que desenvolveram tecnologias dentro de universidades brasileiras e portuguesas e optaram por levá-las ao mercado por meio da criação de Spin-offs. A intenção é entender os fatores que motivaram as escolhas desses profissionais, os principais facilitadores e entraves encontrados pelos docentes, bem como as diferenças contextuais, já que se trata de um estudo comparativo entre Brasil e Portugal. Este debate está alicerçado em ampla discussão na literatura sobre as trajetórias de carreira e sua classificação como tradicional ou não tradicional, conforme o tipo de vínculo empregado-empregador, motivos de escolha pela carreira pretendida (remuneração, estabilidade, valores pessoais), além de aspectos como o investimento em aprendizagem e autodesenvolvimento constantes (ARTHUR; ROUSSEAU, 1996; MAINIERO; SULLIVAN, 2006; DUTRA, 2010; VELOSO, 2012). De modo a atingir o objetivo pretendido, foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com docentes vinculados a universidades brasileiras e portuguesas, nas quais foram abordados aspectos associados à trajetória de carreira dos pesquisadores que fundaram seus spin-offs, compreendendo aspectos como: a decisão pela criação de empresas, o trabalho do docente e do empreendedor, bem como os incentivos e as dificuldades vivenciadas, consideradas as principais categorias de análise adotadas. Cada uma dessas categorias foi codificada e organizada, gerando uma hierarquia estruturada, que embasou as interpretações e análises feitas, conforme apregoa Barbour (2009). De forma conclusiva, os resultados apontam que a trajetória de carreira de docentes que lidam com Spin-off é impactada por vários fatores, dentre eles: o estágio do ciclo de carreira, o interesse difundir a tecnologia e trazê-la para prática, o interesse por ganhos financeiros, reconhecimento entre pares (SHANE, 2004, HAYTER, 2010) e a busca por atividades mais desafiadoras (KILIMNIK, 2011). Tais resultados revelam a importância do entendimento das trajetórias de carreira desses profissionais, no que tange às facilidades e aos desafios enfrentados durante a conciliação de atividades acadêmicas e de empreendedorismo, nos dois países investigados, contribuindo para o debate sobre as carreiras contemporâneas, como elas podem ser construídas no ambiente acadêmico e como podem ser incentivadas.

Publicado
2018-11:-22
Como Citar
Dias, I. A. de M., Souza, Élida P. de, & Barbosa, A. C. Q. (2018). Da docencia à criação de spin-offs acadêmicos. Investigação E Intervenção Em Recursos Humanos, (7). Obtido de http://parc.ipp.pt/index.php/iirh/article/view/2647