Práticas de Responsabilidade Social e Engagement: o Papel da Confiança Organizacional e do Significado do Trabalho

Social Responsibility and Engagement Practices: The Role of Organizational Confidence and the Meaning of Work

  • Teresa Pereira Esteves Instituto Superior de Gestão Bancária
  • Sónia P. Gonçalves Instituto Politécnico de Tomar, Centro de Investigação e Intervenção Social (CIS/ISCTE-IUL)
  • Manuela Faia Correia Universidade Lusíada de Lisboa
Palavras-chave: Práticas de Responsabilidade Social, Confiança Organizacional, Significado do Trabalho, Engagement

Resumo

O constructo de responsabilidade social das organizações (RSO) adquiriu relevância política, académica e empresarial nas últimas décadas. A investigação sobre o tema, realizada no âmbito de várias áreas disciplinares, inicialmente focalizou-se nos níveis institucional e organizacional, analisando os fatores que contribuem para a adoção de práticas de RS e no impacto destas em indicadores de desempenho das organizações e nos stakeholders externos das empresas.
A análise dos resultados da RSO ao nível micro é mais recente, mas existe evidência empírica de que as práticas de RSO se relacionam positivamente com as atitudes e comportamentos dos empregados (e.g., implicação organizacional afetiva, identificação com a organização, comportamentos de cidadania organizacional e confiança organizacional), todavia são ainda raros os estudos que analisam as variáveis mediadoras e moderadoras desta relação. Neste âmbito pretende-se realizar um estudo exploratório, junto de uma amostra diversificada de trabalhadores de empresas de serviços a operar em Portugal para analisar a influência da confiança organizacional e do significado do trabalho na relação entre perceção de práticas de RSO e engagement dos trabalhadores.
A literatura no âmbito do Marketing e do Comportamento Organizacional revela que a confiança organizacional é uma variável mediadora na relação entre práticas de RSO e atitudes e comportamentos de clientes e empregados, sendo considerada um determinante para as relações interpessoais bem sucedidas. Tradicionalmente o significado do trabalho tem sido estudado no âmbito da estruturação de funções, mas são raros os estudos que analisam como as práticas de responsabilidade social ao sinalizarem que a empresa se preocupa com o “bem comum” podem contribuir para os empregados atribuírem significado e propósito ao trabalho que realizam.
Tal como a responsabilidade social, o engagement no trabalho adquiriu relevância na investigação académica e a nível empresarial na área da gestão e desenvolvimento de recursos humanos em virtude das evidências da sua importância para a qualidade de vida e para o desempenho do trabalhador. A literatura sobre os preditores do engagement tem sido focada especialmente em variáveis de natureza individual (e.g., auto-eficácia, personalidade), nas características do trabalho (e.g., função e condições de trabalho) e no suporte social (e.g., liderança), contudo escasseiam os estudos que analisam a relação que as práticas de RSO através da confiança organizacional e do significado no trabalho são suscetíveis de ter no engagement dos trabalhadores.
Com este trabalho pretende-se contribuir para a investigação no âmbito da relação entre práticas de RSO e indicadores de bem-estar dos trabalhadores, analisando o impacto global e diferenciado das práticas de RSO no engagement no trabalho. Adicionalmente contribui-se para o desenvolvimento de uma escala de RSO adaptada ao contexto português.
Os resultados do estudo serão apresentados e serão também discutidas as implicações teóricas e práticas do mesmo.

Publicado
2018-11:-14
Como Citar
Esteves, T. P., Gonçalves, S. P., & Correia, M. F. (2018). Práticas de Responsabilidade Social e Engagement: o Papel da Confiança Organizacional e do Significado do Trabalho. Investigação E Intervenção Em Recursos Humanos, (7). Obtido de http://parc.ipp.pt/index.php/iirh/article/view/2621