Stress ocupacional e burnout em académicos: exploração de fatores organizacionais protetores

  • Ana Teresa Ferreira
  • Ana Rita Ferreira

Resumo

A presente investigação pretende perceber a relação entre o stress ocupacional e o surgimento do burnout em professores universitários.
Este estudo pretende ser relevante e inovador ao analisar duas dimensões associadas ao burnout que até ao momento ainda não foram exploradas como fatores organizacionais protetores de saúde mental: a confiança e o relacionamento com a gestão de recursos humanos.
Outro dos aspectos pertinentes no carácter inovador deste estudo prende-se com a população em estudo. Os académicos possuem uma função altamente exigente, de elevado desafio inteletual e de relacionamento interpessoal e habitualmente estudam outras profissões que não a sua. Não são conhecidos até à data estudos nacionais ou internacionais nesta população.
O plano de investigação foi quantitativo, transversal e correlacional. A amostra é constituída por 117 professores do ensino superior de 4 instituições. Os resultados mostram uma associação significativa negativa da confiança e da relação com a gestão de recursos humanos com o stress e burnout. Resultados práticos para a intervenção e implicações teóricas serão apresentadas. As organizações devem priviligiar e trabalhar ativamente os relacionamentos organizacionais positivos entre colaboradores e chefia. Estas dimensões apresentam impactos relevantes na dimininuição deste tipo de problemáticas associadas à saúde mental.

Publicado
2016-01:-28
Como Citar
Ferreira, A., & Ferreira, A. (2016). Stress ocupacional e burnout em académicos: exploração de fatores organizacionais protetores. Investigação E Intervenção Em Recursos Humanos, (6). https://doi.org/10.26537/iirh.v0i6.2384