O efeito do clima ético organizacional na relação entre o processo de estabelecimento de objetivos e a formação de julgamentos sobre a liderança ética

  • Vítor Hugo Silva
  • Eduardo Simões

Resumo

Existe forte apoio empírico à existência de uma relação linear positiva entre a definição de objetivos e o desempenho nas organizações. No entanto, pouca atenção tem sido prestada às consequências éticas das práticas associadas a esta relação. Compreender as escolhas éticas individuais implica observar o modo como as pessoas interpretam, julgam e agem face a situações que envolvem escolhas éticas, bem como os contextos específicos onde as normas sociais e as práticas quotidianas reforçam, desencorajam ou simplesmente ignoram a ação moral. Perante a ambiguidade que caracteriza os problemas éticos, as pessoas tendem a orientar o processo de tomada de decisão com base na observação do comportamento daqueles que consideram ser uma referência. Nas organizações, os líderes– devido ao valor implícito da posição que ocupam, do status e do poder que detêm – são a principal fonte dessa orientação. Os resultados do presente estudo, realizado com profissionais do setor da banca e serviços (N = 76), sugerem que o estabelecimento de objetivos difíceis contribui negativamente para a formação de julgamentos sobre a ética dos líderes, sendo esta relação condicionada pela perceção individual de um clima de maximização dos interesses conjuntos. Os resultados são discutidos na perspetiva das práticas de GRH salientando-se a sua relevância na capacidade de escrutínio ético nas organizações.

Publicado
2016-01:-26
Como Citar
Silva, V., & Simões, E. (2016). O efeito do clima ético organizacional na relação entre o processo de estabelecimento de objetivos e a formação de julgamentos sobre a liderança ética. Investigação E Intervenção Em Recursos Humanos, (6). https://doi.org/10.26537/iirh.v0i6.2369