Cultura organizacional e investimento em investigação e desenvolvimento - o papel do setor de atividade da empresa e implicações para as práticas de recursos humanos

  • Eva Petiz Lousã

Abstract

No contexto das organizações atuais existe um constante apelo e estímulo à inovação como forma de as empresas potenciarem o seu desenvolvimento e crescimento. A cultura organizacional pode ter impacto ao nível da inovação, no entanto existe pouca evidência empírica da relação teórica entre as componentes que possibilitam essa mudança estratégica, tais como quais as dimensões da cultura organizacional, assim como as da inovação, aliado ao papel da tecnologia de base do setor de atividade. Neste sentido, o presente estudo tem como objetivo explorar o sector de atividade da empresa na relação entre diferentes dimensões da cultura organizacional (envolvimento, consistência, adaptabilidade e missão) e o investimento em investigação e desenvolvimento. O estudo é transversal, abrangendo empresas do setor de base tecnológica e do setor tradicional, de diferentes dimensões e idades que têm desenvolvido esforços em torno da inovação. Foram auto administrados dois questionários em 102 empresas, tendo respondido 905 colaboradores a um questionário sobre cultura organizacional e 102 gestores de topo, de cada organização, a um questionário sobre o desempenho da inovação na organização. Os resultados, analisados através de um modelo de regressão hierárquica, mostraram que o setor de atividade moderou apenas a relação entre a adaptabilidade e o investimento à Investigação e Desenvolvimento. São discutidas as implicações deste estudo no âmbito das práticas de Recursos Humanos, que enquanto área central de desenvolvimento das organizações, podem desempenhar um papel relevante na facilitação de uma cultura organizacional que apoia e estimula o desempenho da inovação na organização.

Published
2016-01:-26