Conflito trabalho-família em motoristas profissionais: Contributos para a sua caracterização e intervenção

  • Isabel Soares Silva
  • Ana Raquel Silva
  • Carlos Alberto Pinto

Abstract

A presente proposta visa contribuir para a caracterização e intervenção na interface trabalho-família, considerando para o efeito a investigação realizada com um grupo ocupacional pouco estudado neste âmbito, os motoristas profissionais. Com efeito, a investigação no domínio da relação trabalho-família tem privilegiado amostras femininas e/ou trabalhadores/as com filhos/as. No total, participaram na investigação cerca de 300 motoristas profissionais homens (a maior parte deles casados e com filhos/as) de duas organizações, uma dedicada ao transporte de mercadorias (empresa A) e, outra, ao transporte de passageiros (empresa B). Em ambos os casos, foi utilizado um questionário na recolha de dados, o qual, permitiu a avaliação das seguidas dimensões: informação sociodemográfica (ex., estado civil), profissional (ex., antiguidade) e familiar (ex., número de filhos/as); conflito trabalho-família (CTF), conflito família-trabalho (CFT) e percepção de suporte por parte da organização. Foi ainda avaliado o compromisso organizacional e a satisfação com a vida na empresa A e a satisfação com o trabalho na empresa B. Os resultados indicaram valores médios relativamente baixos no CTF e no CFT no caso dos motoristas de passageiros (empresa B). No caso dos motoristas de transporte de mercadorias (empresa A), ainda que o valor médio de CFT tenha sido também relativamente baixo, observou-se um valor médio de CTF elevado. Os resultados também indicaram uma associação positiva entre o CTF e a duração semanal do horário de trabalho destes profissionais, e uma associação negativa entre o CTF e a idade dos/as filhos/as, e a percepção do suporte do contexto organizacional. O CTF relacionou-se ainda de modo negativo com a satisfação no trabalho, a satisfação com a vida e com o compromisso organizacional. Discutir-se-ão as implicações práticas dos resultados obtidos, especialmente em torno do apoio que poderá ser proporcionado pelo contexto organizacional na gestão desta interface (por exemplo, revisão das políticas de atribuição das escalas mais penosas do ponto de vista familiar/social em função da antiguidade na empresa).

Published
2016-01:-29