A Auditoria de Recursos Humanos como instrumento estratégico de mitigação do risco na Gestão das Pessoas

  • Ivo Antunes Dias

Abstract

O ambiente concorrencial turbulento e competitivo em que se movem as empresas obriga estas a reequacionarem permanentemente o seu modelo de negócio, bem como a integrar novas filosofias, princípios e práticas de gestão, tendentes à aquisição e manutenção de vantagens competitivas, que as diferencem das suas concorrentes e lhes garantam a sobrevivência e o sucesso empresarial.
Para além do investimento em Investigação e Desenvolvimento (I&D), na inovação tecnológica e no marketing, os decisores de topo investem no fator humano, o qual pela detenção de caraterísticas intrinsecamente humanas, garante vantagem face aos concorrentes. Esse investimento, de natureza imaterial, destina-se a atrair, desenvolver e reter uma força altamente competente, motivada e de elevado desempenho.
Por serem altamente disputados pelo mercado de trabalho, estes profissionais dispõem de uma elevada capacidade negocial em relação aos seus empregadores, pelo que a conceção de políticas, processos e práticas (PPP) de gestão de recursos humanos (GRH), diferenciadas, que contribuam para a manutenção de elevados níveis de desempenho e, sobretudo, para a sua fidelização, tornou-se essencial.
A conceção e implementação de PPP de GRH tornaram-se requisitos básicos na utilização do fator humano, num contexto de instabilidade e imprevisibilidade em que operam, atualmente, as empresas, independentemente do setor de atividade ou da sua dimensão.
A atração, desenvolvimento e retenção dos colaboradores que detêm as core competences constitui um fator determinante da promoção da competitividade empresarial, mas a importância acrescida do fator humano sugere um olhar mais atento e interventivo sobre os modelos de gestão do risco associados ao fator humano.
Neste propósito, discute-se a importância da auditoria dos recursos humanos ser reconhecida como um processo organizacional, crítico e estratégico, pelo reforço da probabilidade de adequação e de qualidade dessas PPP.
Para o efeito, procedeu-se a uma revisão da literatura recorrendo às principais bases de dados bibliográficas como a B-On, a EBSCO, a JSTOR, entre outras, utilizando como descritores ‘Capital Humano’, ‘Práticas de Gestão de Recursos Humanos’, ‘Competitividade’ e ‘Auditoria de Recursos Humanos’, bem como a artigos publicados em revistas técnicas da especialidade.
Da revisão da literatura ressalta a importância conferida ao fator humano enquanto fator indutor da competitividade empresarial, mas a necessidade das políticas, processos e práticas (PPP) de Gestão dos Recursos Humanos carecerem de ser auditados, tendo em vista estabelecer um fit estratégico entre estas PPP e a satisfação dos objetivos dos colaboradores, visando a minimização do risco associado à gestão das pessoas, com base na implementação de métricas que afiram a adequabilidade e eficácia dessas PPP. É com este enquadramento que se procede a uma discussão crítica.
 
 
Published
2016-02:-05