Carcinoma adenoescamoso: um estudo de caso em citologia ginecológica

  • A Pote Instituto Politécnico de Lisboa, Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa
  • R Sousa Hospital da Luz, Lisboa, Portugal
  • P Mendonça Instituto Politécnico de Lisboa, Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa

Abstract

O carcinoma adenoescamoso é um tumor raro que representa cerca de 4% dos tumores cervicais. Este carcinoma ocorre maioritariamente em mulheres com cerca de 50 anos, podendo ocorrer em mulheres mais jovens e está também associado ao estado de gravidez e à infeção pelo Papiloma Vírus Humano.
No presente trabalho, relata-se o caso de uma mulher de 45 anos, com coitorragias e uma lesão dura, elevada e hemorrágica no colo do útero, que foi submetida a citologia esfoliativa. O exame microscópico permitiu visualizar achados citológicos compatíveis com coexistência de componente pavimentosa- células pleomórficas com citoplasma denso com aumento da relação núcleo citoplasma - e componente glandular- pseudoestratificação, feathering e núcleos alongados. O relatório citológico foi de carcinoma pavimento celular, não excluindo a possibilidade de carcinoma adenoescamoso.
No seguimento da doente, foi realizada biópsia ao colo uterino, cujo diagnóstico histológico foi de adenocarcinoma invasor produtor de muco com uma componente do tipo pavimentoso. Esta neoplasia faz diagnóstico diferencial principalmente com “tumores de colisão” onde ocorrem duas neoplasias primárias, uma glandular e outra pavimentosa.
Para este tipo de tumor, a interpretação citológica pode ser desafiante, pela dificuldade de interpretar nos aspetos citomorfológicos a componente pavimentosa e glandular na mesma amostra.

Published
2019-04:-12